O Demônio da Lua


Tantos são os meus eus,
que conheço e desconheço,
perdidos nas memórias do passado,
em cada momento,
em cada pulsão,
aflorando um anjo,
anjo do bem,
anjo do mal,
ira,
desejo,
compaixão,
desintegrando-me em partes,
perdendo a sede da minha alma
- o tempo tudo consome -
e, desesperadamente, procuro
pelo meu mais secreto demônio,
na cratera mais negra da lua,
Shayin,
eis quem eu chamo,
irado,
malvado,
inconformado Shayin
te encontro velado,
nas profundezas de minha alma
esperando ser luz remanescente.

(©, 2008, Lua em Refração, Nancy Lix)

2 comentários:

Mapa do Sol disse...

Shayin não parece muito sociável, larga ele de mão!

Ana Paula disse...

Nunca desista dos seus ideais! Nunca...

 
© 2008 - 2009 Nancy Lix, Lua em Refração. Todos os direitos reservados. Não reproduzir sem autorização. | Technorati | BlogBlogs.Com.Br