A Borboleta


A borboleta não desejou a frágil existência, mas não pode evitar o destino. Nem a crisálida pode impedir a metamorfose. As coisas já começaram com o ovo e as larvas. “Fazer o quê”, disse a bela criatura pousando numa flor, “ao menos não sou gorda”.

(Mini Contos,©, 2008, Nancy Lix)

Um comentário:

Mapa do Sol disse...

Além dos simbolismos de praxe, tais como metamorfose e transformação, a borboleta também remete ao amor eterno. Paradoxalmente, apesar de viver tão pouco. Interessante!
Adorei a imagem! Parece aquelas ilustrações do meu livro infantil favorito.

 
© 2008 - 2009 Nancy Lix, Lua em Refração. Todos os direitos reservados. Não reproduzir sem autorização. | Technorati | BlogBlogs.Com.Br