Innocence

Choro
um orgasmo de dor,
minhas pernas estremecem
em elétricas vibrações
de nojo e prazer ressentido.

Por esta minha morte
jamais te perdoarei
- não por me estenderes
o punhal
alternativa única
para cessar
tamanha violência -
pois aceitando em mim
toda a tua raiva,
acabei matando
toda a minha inocência.

©, 2008, Lua em Refração, Nancy Lix

Um comentário:

Nat Lix disse...

Bah! Essa matou a pau!

 
© 2008 - 2009 Nancy Lix, Lua em Refração. Todos os direitos reservados. Não reproduzir sem autorização. | Technorati | BlogBlogs.Com.Br