Anjo e Demônio

Anjo e demônio,
meu segredo,
meu véu,
minha sina velada,
como posso atar
essas duas partes de meu ser,
colocar asas em meu corpo,
corpo de serpente,
deixar de rastejar,
sair da escuridão,
e acoplar-me sobre a árvore,
entregar-me ao meu desejo,
sem a ele submeter-me
ou perverter-me,
isento de pegajosa lascívia,
mas de beijos profundos e doces
como o licor de anis,
intensos
e inocentes de prejuízos,
sem converter, contudo,
em chama volúvel a minha alma,
em desapaixonada paixão,
como um anjo sem ventre,
ou um demônio sem coração.


© 2009. Nancy Lix. Lua em Refração.

2 comentários:

IcaroReverso disse...

ótima métrica. beijos.

Roger Jones disse...

acho que antes de me livrar dos meus demônios, eu devia me livrar dos meus anjos... mas a verdade é que a sensação que tenho é de que se eu não lavar essa louça acumulada, mesmo com esse frio inclemente, a minha vida não irá adiante... saca ?

 
© 2008 - 2009 Nancy Lix, Lua em Refração. Todos os direitos reservados. Não reproduzir sem autorização. | Technorati | BlogBlogs.Com.Br